Breve histórico da AllChemy

A gênese da AllChemy remonta ao ano de 1994.

O Brasil se conectou à rede da Internet (TCP/IP) em 1991 e, gradualmente, estendeu o acesso às universidades, através da RNP (veja www.ime.usp.br/~is/abc/abc/node25.html). Todavia, em 1994, a interação com o público externo à universidade só era possível através de  BBSs (Bulletin Board Systems) -- precursores dos atuais sites da www. O acesso se dava por linha telefônica, com custo elevado para ligações interurbanas e velocidade baixa, restringindo o uso de imagens com boa resolução.

No Instituto de Química da USP, o pós-graduando Robinson N. Mioshi vinha testando e adaptando programas  freeware e shareware para operação de BBSs, com o suporte técnico do estagiário Marcelo Fagundes de Barros e o apoio e participação do Prof. Claudimir L. do Lago. Certa tarde, em outubro de 1994 o Robinson contou ao Prof. Ivano G. R. Gutz que conseguira reunir condições para montar um BBS. Foi quando surgiu a idéia de criar o primeiro BBS brasileiro dedicado à química.

Aproveitando o tempo livre das férias de fim de ano, essa equipe conseguiu montar o BBS BootQuim (o termo boot é usado para a tarefa de inicialização de computadores; qualquer semelhança com “botequim” não era coincidência) e iniciar, já em fevereiro de 1995, sua operação experimental.

O acesso externo ao BootQuim se dava via modem, pelo telefone  (011) 816 3828, cedido para este propósito pelo Diretor do Instituto de Química, Prof. Dr. Walter Colli, que reconheceu prontamente o potencial deste novo veículo para a difusão de conhecimento.

O aspecto da primeira página do BootQuim, em 13 de fevereiro de 1995, era o seguinte:
 


[==========================================================================]
[  XXXXXx   xXXXXx   xXXXXx   XXXXXX   xXXXXXx    XX   X   XXXX   XX   XX  ]
[  XX   X   XX   X   XX   X     XX     XX    X    XX   X    XX    XXX XXX  ]
[  XXXXX    XX   X   XX   X     XX     XX  x X    XX   X    XX    XX X  X  ]
[  XX   X   XX   X   XX   X     XX     XX   XX    XX   X    XX    XX    X  ]
[  XXXXX”   “XXXX”   “XXXX”     XX     “XXXXX”x   “XXXX”   XXXX   XX    X  ]
[                                                                          ]
[                     A    B B S    D A    Q U I M I C A                   ]
[==========================================================================]

 Coordenador: Prof. Ivano G. R. Gutz
     SysOp's: Prof. Claudimir L. do Lago (senior), Robinson Mioshi (junior)
     Suporte: Marcelo Fagundes
       Apoio: Instituto de Quimica - USP
              Conselho Regional de Quimica - 4ª Regiao
              Associacao Brasileira de Quimica - Regional Sao Paulo

        BOOTQUIM aproxima voce do mundo da quimica e ciencias afins,
oferecendo uma miriade de informacoes e abrindo uma infovia para voce 
comunicar-se com colegas que compartilham seus interesses. O acesso a BBS e 
gratuito. Ficaremos satisfeitos em saber que o BOOTQUIM esta sendo util 
para voce. Criticas, sugestoes e contribuicoes sao benvindas. 
Transmita-as aos SysOp's da BBS.

        Na lista abaixo figuram as secoes que compoe a BBS.
        Faca sua escolha (basta digitar o numero, seguido de Enter).

 1. Instrucoes e normas de uso da BBS
 2. Informativo (atualidades, coment rios, noticias das entidades represent.)
 3. Correio eletronico e grupos de discussao
 4. Artigos de divulgacao cientifica e reproducao de publicacoes
 5. Normas e nomenclatura quimica. Informacoes da IUPAC
 6. Revista Eletronica de Quimica
 7. Cursos, congressos e outros eventos
 8. Estagios, bolsas, consultorias, empregos, concursos
 9. "Shareware" e "Software"
10. Livros, revistas, fitas, CD's
11. Reagentes, equipamentos, instrumentacao e materiais para laboratorios
12. Instituicoes de ensino de quimica (2º grau, 3º grau e pos-graduacao)
13. A carreira do quimico. Atribuicoes da profissao

   Opcao escolhida:
 

A “navegação” era feita digitando uma das opções disponíveis em cada página de texto. Arquivos para download podiam conter imagens, o que, contudo, alongava o tempo de transferência.

Nos meses seguintes, os testes do BBS foram intensificados, os “bugs”, reduzidos pelos "System Operators"  Robinson e Prof. Claudimir, com suporte técnico do Marcelo, e o conteúdo, ampliado pelo Prof. Gutz . A abertura ao público foi oficializada no Dia Nacional do Químico em 18 de junho de 1995, fato amplamente divulgado no Informativo do CRQ-4 (distribuído a mais de 100 mil químicos) e em artigo da Revista Química e Derivados. Um novo nome foi escolhido em votação da qual participaram vários docentes e pós-graduandos do IQ-USP, mas logo se descobriu que já se encontrava registrado no INPI por uma microempresa de consultoria. Em nova escolha, prevaleceu o nome AllChemy (sugestão do Prof. Gutz) por lembrar “toda a química” em vários idiomas. Entre as propostas de logotipo, foi escolhida a do Prof. Claudimir.

Em 1995 ocorreu a instalação do “Comitê Gestor da rede Internet no Brasil”, seguindo-se os primeiros passos para a abertura da Internet às empresas comerciais e ao público. Imediatamente, o Robinson e o Marcelo começaram a dedicar-se à inclusão da AllChemy na World Wide Web, viabilizada no primeiro semestre de 1996, com a liberação, pelo IQ-USP, de um IP fixo associado ao endereço http://allchemy.iq.usp.br. Por tratar-se de novidade na época, a demonstração pública, feita durante o 36º Congresso Brasileiro de Química em setembro daquele ano, atraiu grande atenção. A evolução do crescimento das consultas nos primeiros anos pode ser apreciada num gráfico. No segundo de semestre de 2007, o número de visitas mensais medido pelo Webalizer flutuou entre 3.850 e 10.357.

A AllChemy foi um desafio que virou “escola” para o Robinson e o Marcelo. A atração do primeiro pela informática já era evidente no estágio de Iniciação Científica com o Prof. Gutz, em 1991/92 e se acentuou durante os anos em que o Prof. Claudimir orientou seu mestrado em química, seguido do doutorado. A tal ponto o envolvimento com a AllChemy o influenciou que ele deixou de lado a finalização da tese em favor da atuação profissional no mundo da Internet. O estagiário em informática Marcelo se profissionalizou nesta área antes mesmo do Robinson, focando, à época, a segurança de redes. Diga-se de passagem que o Prof. Gutz programava calculadoras/computadores de mesa da HP desde o início da década de 70 e defendeu livre-docência sobre Quimiometria e Automação em 1985, enquanto o Prof. Claudimir interfaceou um espectrômetro de massas pentaquadrupolar a um microcomputador no seu doutoramento, defendido em 1991, e manteve a computação e a automação como focos principais da sua tese de livre-docência, em 1998..

Certamente, o Robinson foi uma peça chave nos primeiros 6 anos de funcionamento da AllChemy e do servidor montado para hospedá-la, ligado à rede do IQ-USP. Atuou ininterruptamente como SisOp/Webmaster/Webdesigner até 2001, quando foi contratado pelo mercado. A participação do Marcelo como colaborador voluntário da AllChemy foi mais breve mas não menos importante, com destaque para as primeiras instalações do Linux e dos programas de servidor de rede, bem como para os cuidados com aspectos de segurança. Mesmo depois de sair da USP para cuidar da $ua $obrevivência, continuou dando “consultoria grátis” por e-mail.

Em 1997, ingressou na equipe da AllChemy, um talentoso entusiasta da computação, o José Geraldo A. Brito Neto, tal como o Robinson, orientando do Prof. Claudimir como estagiário, mestrando, doutorando e pós-doutorando. Programador versado e profundo conhecedor do Linux, José Geraldo, cuidou da segurança e da estabilidade do sistema e foi responsável por muitos aperfeiçoamentos. Por exemplo, programou um banco de dados que foi preenchido pelo Prof. Gutz auxiliado pelos seus filhos Karin e Erik, formando a ExpoChemy, com mais de 90 mil itens entre reagentes, equipamentos e materiais de laboratório de 175  empresas. Pioneira no país, a ExpoChemy foi copiada por sites comerciais bem produzidos e atualizados, mas de menor envergadura quanto aos número de itens reunidos numa base brasileira voltada para a química. 

Nos anos de 1996 e 1997 a  Karin cuidou da maior parte da digitação (em html) e editoração das páginas  da AllChemy, colocando nelas o conteúdo reunido pelo Prof. Gutz. De 1998 em diante, a tarefa passou a ser dividida entre a  Mirian, responsável pela digitação e revisão, e pelo Erik, incumbido da instalação e do web-design (p. ex., ExpoChemy e Olimpíadas de Química).

Em 1998, o Robinson colocou em funcionamento no servidor um programa de mala direta para enviar e-mails em massa, possibilitando ao Prof. Gutz criar e editar a AllChemy News que, entre meados de 1998 e o final de 2000, levou aos assinantes, manchetes da química e informações sobre livros, cursos, congressos, prêmios e datas importantes. A AllChemy News preencheu importante lacuna na época, tanto que o número de assinantes que se cadastraram ultrapassou seis mil. O tráfego gerado na distribuição mensal provocava certa saturação na rede do IQ-USP e a Comissão de Informática sugeriu que se procurasse uma solução. Neste ponto, já começavam a surgir outros boletins eletrônicos, por exemplo, da SBQ e da ABQ e a maioria dos congressos, cursos e livros já era cadastrada www e localizável pelos sistemas de busca. Cumprida também esta missão pioneira, decidiu-se pela suspensão do serviço, não sem reclamações dos assinantes, que foram se atenuando à medida que se sugeria as novas alternativas.

Outro entusiasta do Linux, da computação e da instrumentação, Carlos A. Neves, auxiliou crescentemente o José Geraldo após a saída do Robinson, enquanto fazia pós-graduação com o Prof. Claudimir.Assumiu as atividades de manutenção relativas ao hardware e ao software do servidor e cuidou de melhoramentos, como, p. ex., a instalação do Webalizer. O  Carlos se doutorou em 2005, mesmo ano em que o José Geraldo completou seu pós-doutoramento no grupo e seguiu para o Japão, para dedicar-se a nova linha de pesquisa. Enquanto o Carlos ainda definia seu futuro, por não haver outros pós-graduandos experts em Linux no grupo e com os Prof. Claudimir e Gutz absortos nas pesquisas, ensino e, respectivamente, na vice-presidência da Comissão de Pós Graduação e na chefia do Departamento de Química Fundamental, decidiu-se transferir a  hospedagem do site AllChemy – que desde a origem funcionava em servidor instalado no laboratório do grupo – para um dos servidores do STI do IQ-USP, com respaldo da Direção.

Atendendo às normas de segurança do STI, os bancos de dados de produtos químicos, equipamentos e livros da AllChemy foram desativados. Muito consultados e exclusivos no país durante os primeiros anos, esses bancos de dados perdiam importância à medida que os fabricantes de distribuidores disponibilizavam seus catálogos on-line e estes podiam ser rapidamente localizados por sites de busca. O crescimento exponencial do conteúdo sobre química na internet ao longo da existência da AllChemy também vem inviabilizando a atualização manual das múltiplas seções da AllChemy, pelo que se pede escusas aos usuários, sugerindo que complementem/atualizem as informações noutras fontes localizáveis por sistemas automáticos de busca como o Google.

Para encerrar, registram-se agradecimentos: a todos quantos, de forma voluntária e sem compensação financeira,  colaboraram ou colaboram com a AllChemy; ao apoio inicial do CRQ-IV Região, da ABQ-SP e de algumas empresas na montagem e manutenção do hardware para a operação do sistema; aos sucessivos diretores do Instituto de Química da USP, Profs. Drs. Walter Colli, Paulo Sérgio Santos, Hernan Chaimovich e Hans Viertler, pela confiança e reconhecimento; e aos usuários, pelo interesse continuado e compreensão com as eventuais falhas e limitações.
 

Pioneiros da AllChemy: Gutz Carlos Marcelo Zé Robinson Claudimir
Os pioneiros da AllChemy: Gutz, Carlos, Marcelo, José Geraldo, Robinson e Claudimir.
Foto registrada no encontro de final de ano de 2005 do
 Grupo de Pesquisa em Química Analítica Instrumental.